JS NewsPlus - шаблон joomla Продвижение
Portuguese English Italian Spanish

O Cerrado de Pirenópolis é muito significativo. A região está situada dentro do bioma com mesmo nome. O Cerrado é o segundo maior bioma do país em área, superado apenas pela floresta Amazônica abrange aproximadamente 1.750.000 km², correspondendo a cerca de 20% do território nacional. Possuindo flora característica e diferenciada dos biomas adjacentes, a flora do Cerrado se destaca pelo alto índice de diversidade.

Riquíssima flora e a presença de diversos ecossitemas, proporcionam mais de 10.000 de plantas, com 4.400 endêmicas desse bioma. Ainda existem espécies desconhecidas, que devido à ação antrópica podem ser destruídas antes mesmo de serem catalogadas. Poucas tentativas de compilação de dados da composição florística do Cerrado foram realizadas. Oficialmente uma listagem pioneira elaborada em 1982 por Warning a partir de um estudo na região de Lagoa Santa em Minas Gerais. Posteriormente alguns autores procuram compilar dados sobre a flora do cerrado destacando-se as tentativas de Rizzini et al. (1977), com 774 espécies arbustivas e arbóreas; e Filgueiras & Pereira (1994), que só para o Distrito Federal listaram 2264 espécies vasculares nativas. Para o cerrado lato sensu, Castro (1994) compilou 1753 espécies lenhosas, excluindo lianas(1).

A conservação da biodiversidade pode melhorar a qualidade de vida de inúmeras pessoas, pois nela pode-se inclusive encontrar a cura para muitas doenças que atingem a humanidade.

Fitofisionomias...

A rica diversidade do Cerrado permite sua divisão em 11 tipos de fitofisionomias (fito= planta; fisionomia= forma). Enquadrados em formações florestais (Mata Ciliar, Mata de Galeria, Mata Seca e Cerradão), savânicas (Cerrado senso restrito, Parque de cerrado, Palmeral e Vereda) e campestres (Campo Sujo, Campo Rupestre e Campo Limpo). Na região de Pirenópolis podemos encontar praticamente todas fitofisonomias citadas com forte presença de Campos rupestres. Durante a época de seca os dias são ensolarados, fazendo com que a vegetação rasteira seque progressivamente, favorecendo a ocorrência de grandes queimadas.

Fogo no Cerrado
Um dos fatores ecológicos mais importantes do cerrado é o fogo. Ele pode ser gerado de diversas formas naturais, mas a principal delas são as descargas elétricas. Os incêndios diminuem a densidade do cerrado, prejudicando o incremento do material lenhoso e favorecendo a expansão das plantas herbáceas. Outra hipótese, de maior aceitação, considera o cerrado uma vegetação clímax, que não se torna uma floresta devido às condições de clima e solo existentes, tendo o fogo um papel secundário. De acordo com a segunda hipótese, a falta de nutrientes essenciais e a grande presença de alumínio são as responsáveis pela fisionomia característica dos cerrados.

A Distribuição da flora no cerrado
Além de elementos do clima, da química e física do solo, da geomorfologia, topografia ,da disponibilidade de água e nutrientes a distribuição da flora no cerrado é condicionada pela latitude, frequência de queimadas, profundidade do lençol freático, pastejo e inúmeros fatores antrópicos que em muitas vezes são fruto da exploração imediatista do homem visando fins econômicos.

Em breve esta seção será atualizada e complementada com dados recentes de pesquisas científicas realizadas na região de Pirenópolis.

Saiba mais temas correlatos:

Lista de plantas medicinais do cerrado http://www.arvores.brasil.nom.br/links/medicin.htm
Conceitos sobre fitofisiomomia

Links

http://www.sitecurupira.com.br/plantas_nativas.htm (lista de alguma plantas nativas)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_plantas_do_Cerrado Lista de plantas do cerrado
http://www.pre.ueg.br/projetos/trilha_virtual/manual_cerrado_flora.htm (Site com espécies de plantas do cerrado)
http://www.ambientebrasil.com.br/ (Site com importantes informações na área de conservação)
http://www.iucn.org/bookstore/SpeciesPlants-index.htm (Site sobre conservação de plantas)
http://www.sementesdocerrado.bio.br/ (Banco de sementes de plnats do Cerrado)
http://www.tudosobreplantas.com.br/ (Site com informações gerai sobre plantas)

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRANDÃO, M.; GAVILANES, M. L. (1992). Espécies árboreas padronizadoras do Cerrado mineiro e sua distribuição no Estado. Informe Agropecuário 16 (173): 5-11.

BRANDÃO, M.; CARVALHO, P. G. S.; JESUÉ, G. (1992). Guia Ilustrado de Plantas do Cerrado. CEMIG.

CASTRO, A. A. J. F., MARTINS F. R., TAMASHIRO, J. Y., SHEPHERD G. J. (1999). How rich is the flora of Brazilian Cerrados? Annals of the Missouri Botanical Garden 86 (1): 192-224.

Castro, A.A.J.F. Comparação florístico-geográfica (Brasil) e fitossociológica (Piauí –São Paulo) de amostras de Cerrado.
Campinas: UNICAMP,1994. 520 Tese Doutorado.

FELFILI,J.M.;FILGUEIRAS,T.S.;HARIDASAN,M;SILVA JUNIOR, M.C MENDONÇA, R.C;REZENDE, A. V. Projeto biogeografia do bioma cerrado: vegetação e solos. Cadernos de Geociência, v12 n. 4, p75-166,1994.

HENRINGER, E.P; BARROSO,G.M. ; RIZZO,J.A.;RIZZINI.C.T. A Flora do Cerrado. In: SIMPÓSIO SOBRE O CERRADO,41976, Brasília DF. Anais. São Paulo : EDUSP/ Belo Horizonte: Itatiaia, 1977. p211-232. (Reconquista do Brasil,38).

LEITÃO FILHO, H.F. (1992). A flora arbórea dos Cerrados do Estado de São Paulo. Hoehnea 19 (1/2): 151-163.
MENDONÇA, R. C.; FELFILI, J. M.; WALTER, B. M. T.; SILVA, M. C.; REZENDE, FILGUEIRAS, T. S.; NOGUEIRA, P. E. Flora vascular do bioma Cerrado.

WARMING, E. Lagoa Santa In: Warming,E; FERRI, MG, Lagoa Santa; A vegetação de cerrados brasileiros: São Paulo: EDUSP/ Belo Horizonte: Itatiaia, 1973. p 1- 284