JS NewsPlus - шаблон joomla Продвижение
Portuguese English Italian Spanish

As Pastorinhas de Pirenópolis

 

17/10/2014

Em Pirenópolis, nacional e internacionalmente conhecida pela famosa Festa do Divino e pelas Cavalhadas (encenação da luta entre mouros e cristãos na Península Ibérica), acontece também, uma grande e famosa manifestação cultural "As Pastorinhas", apresentada na cidade histórica desde 1922.

Esse bailado natalino, é um dos festejos do Divino Espírito Santo, grande evento religioso e cultural, realizado na antiga Meia Ponte,hoje Pirenópolis

A apresentação teatral em como enredo a visita dos pastores a Belém para homenagear o menino Jesus.

A peça teatral foi introduzida em Pirenópolis pelo telegrafista nordestino Alonso Machado, o Pastoril, como também chamado, cantado, tipo opereta, relata a anunciação do nascimento de Jesus.

Representados por meninas menores de 10 anos, eles foram introduzidos pelo Maestro Propício de Pina em 1923, o primeiro regente dessa peça na cidade e autor da sua adaptação com base nos originais obtidos junto ao telegrafista. Segundo os historiadores, as primeiras Pastorinhas, formadas por grupo juvenil, duravam mais de 4 horas e tinham diversos atos. Atualmente tem duração média de 2 horas.

Durante a década de 80, Aspásia de Pina Jayme, descendente do Maestro Propício de Pina, montou um grupo infantil de pastorinhas como uma brincadeira de fundo de quintal entre suas sobrinhas. Assim teve início "As Pastorinhas - Infantil", que até hoje é encenada no período natalino. Existem, duas pastorinhas, a infantil, representada por crianças de idade de 10 a 12 anos e a juvenil, na faixa de 15 anos ou mais. A mais tradicional é As Pastorinhas - juvenil.

Apesar de sua essência natalina, a peça As Pastorinhas, sempre foi mostrada durante a Festa do Divino, que ocorre no período de pentecostes, entre o final de maio e o início de junho, em meio aos doze dias de festejos, novenas, folias, procissões, missas, mascarados, cavalhadas e congadas.

As mocinhas que participam da encenação são escolhidas na própria comunidade local e o fato é encarado como uma espécie de “debut”, devido a importância desse acontecimento na sociedade.

Sair na "As Pastorinhas" é motivo de muito orgulho para as meninas de Pirenópolis. Elas são distribuídas entre o cordão vermelho, com trajes vermelhas e o cordão azul, vestidas nessa cor. Do mesmo modo, os demais personagens, representando sentimentos humanos e a organização religiosa, que são: Fé, Esperança, Caridade, Cigana, Anjo, Diana e Religião. Os homens fazem o papel de Simão (o velho), Benjamin (o menino) e Luzbel (o capeta).

A peça narra a história do nascimento de Jesus Cristo. As pastorinhas são lideradas por um pastor conhecido como Velho Simão. Recebem o anúncio primeiramente em sonhos pela pastorinha Mestra e depois por uma aparição do anjo Gabriel. Assim os pastores decidem ir a Belém visitar o filho de Deus, que acabara de nascer. Durante o percurso, o diabo as persegue.

Uma das pastorinhas, conhecida como Contra Mestra se perde de suas companheiras. Então, o diabo, disfarçada, tenta seduzi-la, oferecendo-lhe os chamados prazeres do mundo. Ela resiste e então é salva pelo anjo Gabriel. Chegam a Belém, deixam flores na manjedoura e retornam aos campos, felizes com a recompensa da visão do filho de Deus.