JS NewsPlus - шаблон joomla Продвижение
ptenites

Caos no Sistema de Comunicação e Vendas Via Cartões de Crédito em Pirenópolis

(19-04-2014)

Por Edson Paranhos

Feriados Prolongados... esquece! O Funcionamento é Pífio

Pirenópolis uma das 65 cidades indutoras do Turismo no Brasil, assim denominada pelo Ministério do Turismo, e vejam só, qualquer fim de semana com um feriado prolongado quando aumenta mais o movimento da cidade a mesma coisa se repete, a comunicação via telefone celular quase que desaparece.

Independe das operadoras, pode ser Tim, Vivo, Oi, Claro ou qualquer outra, o caos se estabelece. Na verdade o problema é muito maior, pois o comércio ligado ao turismo como lojas, restaurantes, agências de viagens, pousadas, etc, praticamente não recebem as vendas com pagamentos via cartão de crédito e/ou débito, causando um grande prejuízo para o trade e inconforto para o usuário.

Como sobreviver diante de tamanho descaso, sendo que o Brasil é um dos países no mundo onde as tarifas para esses serviços são as mais altas. Imaginemos, então, num dos maiores eventos esportivos do planeta, a Copa do Mundo, se num simples feriado como esse da Semana Santa o caos fica instalado.

Parece comédia, mas ao caminhar pelo Centro Histórico, como neste sábado de aleluia, onde estão instaladas a maioria do comércio, e restaurantes; garçons, vendedoras de lojas de produtos para turistas desesperados com suas maquininhas sem fio, amigas da onça, no meio das ruas procurando sinal ... e nada!

Deixamos aqui um alerta para todos os turistas que vêm para Pirenópolis nestes dias de feriado, que tragam dinheiro vivo (papel moeda) ou talões de cheques, para que não passem apertado sem ter como fazer suas compras ou pagar um jantar que seja.

Outrossim, essa cidade indutora do turismo, como diz o Ministério, sequer tem um Caixa 24 horas.

Fica esse alerta para todos que pretendem vir para a cidade, pois ainda há tempo. Já para os turistas extrangeiros a situação pode ser desesperadora, pois não existem operadoras de cambio de moedas no local, nem mesmo os bancos instalados na cidade operam com outras moedas.