JS NewsPlus - шаблон joomla Продвижение
ptenites

Pirenópolis na Copa de 2014

 

(30-06-2009)

A escolha de Brasília como sede da Copa do Mundo de 2014 está mobilizando cidades históricas e turísticas de Goiás. É o caso de Pirenópolis que, por sua proximidade com a capital, espera atrair parte da platéia dos jogos para conhecer o casario preservado do século XVIII, a comida típica goiana, o artesanato e a vida simples e sossegada da gente do lugar.

Distante 150 quilômetros de Brasília, Pirenópolis está recebendo investimentos públicos para fazer bonito nos jogos mundiais. Um dos principais projetos na pauta da Copa, segundo o secretário municipal de Turismo, Sérgio Rady, é o de requalificação da orla do Rio das Almas, de onde saiu parte do ouro explorado no Brasil colônia. O investimento previsto é de US$ 3,4 milhões com recursos do Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur).

Pirenópolis foi contemplada também com recursos para a qualificação de profissionais e empresários dos bares e restaurantes locais. Uma ação cujos resultados podem ser sentidos no movimento local de valorização da culinária goiana e na variedade de produtos ofertados ao turista.

Nos últimos cinco anos, o Ministério do Turismo investiu no município R$ 1,54 milhões em obras de infraestrutura turística como a pavimentação de ruas, construção do centro de atendimento ao turista, praças e canteiros. O museu das Artes do Divino, que recebeu R$ 104 mil, foi incluído no programa de Qualificação de Museus para o Turismo, uma ação em parceria com o Ministério da Cultura.

Fundada em 1727 e tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Pirenópolis é considerado o berço da cultura do estado. Foram os atrativos de grande potencial turístico que a colocaram, junto com Goiânia, Cidade de Goiás, Alto Paraíso e Caldas Novas, entre os 65 destinos indutores do desenvolvimento regional de Goiás, priorizados em projetos e programas do Ministério do Turismo.

A cidade integra o Polo do Ouro: formado também pela Cidade de Goiás, Corumbá de Goiás, Abadiânia, Jaraguá e Cocalzinho. Os segmentos explorados são os de turismo cultural, ecoturismo, turismo rural e de aventura. Ações semelhantes às realizadas em Pirenópolis estão sendo conduzidas pelo ministério nos demais destinos goianos. Em 2008, o MTur empenhou para todo o estado R$ 72 milhões, dos quais R$ 52,4 milhões para obras de infraestrutura, R$ 1,1 milhão para qualificação e outros R$ 18,5 milhões em recursos do Prodetur.

Fonte: MTur